Acervo

Cia. de Dança Deborah Colker

24No Programa: (2005).

SOBRE O ESPETÁCULO

Vários momentos importantes pontuam a bem-sucedida carreira de Deborah Colker. Desde que surgiu – em 1994, no Rio de Janeiro – a companhia formada pela coreógrafa carioca já conquistou reconhecimento e prêmios internacionais. Aplaudida em relevantes palcos do mundo, também vem revelando as transformações de uma linguagem coreográfica que destaca a potência do movimento, mas que com o tempo passou a se apropriar de significados dramatúrgicos. O espetáculo inaugurou esta nova fase em 2005, quando estreou no Tanzfestival Movimentos, em Wolfsburg, Alemanha. Em busca de uma dramaturgia que permitisse associar as questões físicas de espaço e movimento a reflexões sobre questões humanas universais, Deborah Colker elegeu o desejo como tema para criar esta coreografia desafiadora, com bailarinos se movendo em um emaranhado de cordas. “Cordas que dão nós e que simbolizam os laços afetivos que nos amarram”, diz Deborah. “Cordas que servem para aprisionar, puxar, ligar, libertar”. Em 2018, ressurge em nova leitura, com novos significados, marcando os processos de amadurecimento da coreógrafa e seu grupo – e talvez influenciado pelo viés narrativo surgido em espetáculos como Tatyana, de 2011, inspirado na literatura de Alexander Pushkin. Em 2014, foi apresentado na França pelo Ballet de L’Opéra National du Rhin, somando-se às conquistas internacionais de Deborah –  cuja capacidade de reger grandes produções já a levaram a coreografar para o Cirque du Soleil e para a abertura das Olimpíadas de 2016, no Rio de Janeiro.

 

Dias do Assinante:

Grupo 1: 26 de setembro | Grupo 2: 27 de setembro

Quarta e quinta-feira, 21h

 

Informações

Duração: 1h35 com intervalo

Classificação: Livre

Acessibilidade: Motora e Visual

Ficha Técnica

Produção

Instituto Alfa de Cultura

Elenco

Cia. de Dança Deborah Colker

Materiais disponíveis: Cia. de Dança Deborah Colker

Veja mais no site oficial

http://www.ciadeborahcolker.com.br/

Outros Espetáculos